A MAIOR OBRA-PRIMA DA SQUARE DE TODOS OS TEMPOS | CHRONO TRIGGER

25/09/2018

Chrono Trigger é um jogo de RPG eletrônico desenvolvido pela Square Co. e foi originalmente lançado para o console Super Nintendo no Japão em março de 1995. Ele teve uma versão aprimorada para o PlayStation lançada em novembro de 1999 e uma outra para o console portátil Nintendo DS, lançada em 25 de novembro de 2008 no Japão e, um dia depois, nos EUA. Chrono Trigger foi portado também para Virtual Console, PlayStation Network, iOS, Android e Microsoft Windows.
O jogo foi desenvolvido por uma equipe apelidada de “The Dream Team” (O Time dos Sonhos). Ela era formada por profissionais de altíssimo nível:
– Hironobu Sakaguchi e Kazuhiko Aoki (produtores da série Final Fantasy),
– Yuji Horii (diretor da série de jogos Dragon Quest),
– Akira Toriyama (criador de mangás famosos, como Dragon Ball e Dr. Slump),
– Nobuo Uematsu (músico da série Final Fantasy).
Toda a equipe trabalhou com a ideia de que este jogo teria de ser revolucionário, envolvendo múltiplos finais, uma história dramática, um bom sistema de batalhas e belos gráficos. É considerado por muitos um dos melhores jogos já feitos na história dos games.

HISTÓRIA

Chrono Trigger começa sua história no ano 1000 DC, quando o jovem Crono dorme tranquilamente até sua mãe acordá-lo para ele ir a Feira do Milênio.

Crono vai até a festa para se encontrar com Lucca, a inteligente e sagaz amiga do nosso protagonista. Enquanto anda pelo local, o jovem esbarra sem querer em uma garota de longos cabelos loiros. Seu nome é Marle e rapidamente eles se tornam amigos. Marle e Crono vão encontrar Lucca, que naquele dia estaria expondo sua nova invenção: uma máquina de teletransporte. O primeiro a testar a engenhosidade é Chrono, que é teletransportado com sucesso entre os polos da máquina. Encantada, Marle decide testar a máquina também, mas algo dá errado. O pingente que a garota usava emite um forte brilho e ela é sugada para dentro de um misterioso portal.
Chrono e Lucca não veem escolha e também entram no portal para tentar salvar Marle. Depois de um bom tempo (de gameplay), eles conseguem resgatar Marle, porém se veem obrigados a entrar em um portal, sem saber qual era o seu destino. Os três acabam sendo levados para um futuro pós-apocalíptico que havia sido devastado por um ser extremamente poderoso chamado… Lavos!
Lavos é uma criatura que veio do espaço através de um meteoro e possui uma imensa vontade de destruição. O planeta estava em ruínas e a população havia se resumido a um pequeno número de pessoas famintas. Vendo o destino que o mundo terá, Crono e sua equipe decidem mudar o futuro, fazendo uso dos portais.

GAMEPLAY

Chrono Trigger traz a jogabilidade de RPGs clássicos com diversas inovações.

O jogador controla o protagonista e seus companheiros pelo mundo fictício do jogo. A navegação ocorre através de um mapa aéreo de visão do mundo. Áreas como florestas, cidades e palácios são retratadas em mapas mais realistas, onde os jogadores podem conversar com os habitantes para procurar itens, serviços, vencer desafios ou enfrentar inimigos.
A jogabilidade de Chrono Trigger difere dos RPGs tradicionais, trazendo inimigos visíveis no mapa ao invés de encontros aleatórios. Os heróis e os adversários podem desferir ataques físicos ou mágicos durante a batalha e os jogadores podem usar itens para curar ou proteger os personagens.
Cada herói e adversário tem um certo número de pontos de vida, que podem ser reduzidos com ataques inimigos ou restaurados com itens e magias. Entre as batalhas, o jogador pode equipar seus personagens com armas, armaduras, elmos e acessórios com efeitos diversos, além de vários outros itens que podem ser usados dentro e fora das batalhas.
Itens e equipamentos podem ser comprados em lojas ou encontrados em baús de tesouro.

Chrono Trigger usa um sistema Active Time Battle, marca registrada dos jogos Final Fantasy, criado por Hiroyuki Ito para Final Fantasy IV, que foi nomeado como “Active Time Battle 2.0”. Cada personagem pode agir na batalha assim que uma barra de espera é preenchida. Magias e técnicas físicas são apresentadas através de um sistema chamado “Techs”.
As Techs consomem os pontos de magia do personagem e, em alguns casos, possuem áreas de efeito especiais. Uma característica inovadora em tal sistema é a existência de diversas técnicas cooperativas. Cada personagem possui oito Techs que podem ser usadas em conjunto com as de outro personagem. Por exemplo, a Tech Cyclone de Crono pode ser combinada com a Flame Toss de Lucca para criar a Fire Whirl.

GRÁFICOS E SONS

Os gráficos de Chrono Trigger são, provavelmente, os melhores do Super Nintendo. A direção de arte do game é algo que impressiona até os dias de hoje. O jogo envelheceu muito bem, já que poucos games se mantém atuais em gráficos e jogabilidade.
A diversidade na ambientação durante a sua aventura é simplesmente incrível. Você passa por florestas, laboratórios, ruínas, neve, cavernas, esgotos, cidades flutuantes, locais abandonados e vários outros tipos de ambientes.
Os personagens de Akira Toriyama são extremamente carismáticos e desenvolvidos. Nota-se o trabalho impecável de se conseguir transmitir todas as emoções possíveis através deles.
A trilha sonora de Chrono Trigger é perfeita, envolvente, empolgante e, algumas vezes, comovente. É tão fantástica que é considerada uma obra prima e rendeu um CD triplo no Japão, tornando-se uma das trilhas de videogames de maior sucesso da história. Este trabalho foi a estreia do compositor Yasunori Mitsuda, que contou com o auxílio do veterano Nobuo Uematsu, responsável por outras trilhas de jogos clássicos da Square como Final Fantasy e Secret of Mana.

AS NOVIDADES DA VERSÃO DO NINTENDO DS

A versão para o portátil da Nintendo marcou a primeira vez em que a Square Enix mexeu diretamente no conteúdo do game.
Alguns diálogos foram alterados para melhor entendimento e a tradução foi revisada para ficar mais próxima ao original.
Há mini games extras, novas dungeons e até mesmo um novo chefe que leva a um final extra. A principal dungeon extra se chama Time Distortion/Dimensional Vortex. Assim que terminá-la você terá acesso a uma passagem muito importante para o entendimento da ligação existente com Chrono Cross lançado para o PlayStation. As outras duas “dungeons” extras são Lost Sanctum, onde você faz missões para alguns Reptites que fugiram de Dinopolis e a Arena, onde você cria monstros e enfrenta outros para ganhar itens.
Para melhorar, esta versão contém ainda as animações do PlayStation One, porém sem os loadings, o que a faz ser considerada a melhor versão do jogo até hoje.

CONCLUSÃO

Chrono Trigger foi uma união de alguns dos maiores desenvolvedores de games, o que resultou em um jogo praticamente “perfeito”. Graças a essa equipe dos sonhos, Chrono Trigger se tornou o que é hoje.
Apesar de muitos anos terem se passado, este jogo continua sendo um dos melhores games de RPG já desenvolvidos. Ele trouxe diversas inovações e revolucionou o gênero. Até mesmo quem não curte muito RPG pode acabar gostando de Chrono Trigger. O meu melhor amigo chamado Lucio, que não gosta desse gênero, que o diga.
Chrono Trigger até chegou a ganhar uma continuação espiritual chamada Chrono Cross, mas há pouquíssima ligação entre esses dois games.
Se ainda não jogou, faça um favor a si mesmo e vá conhecê-lo. Não importa a plataforma, Chrono Trigger é sempre Chrono Trigger!

 

Por falar em RPG, já leu nosso post sobre Phantasy Star? Leia Já:

MEU PRIMEIRO RPG | O LENDÁRIO PHANTASY STAR!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Versus Podcast © 2017