BANDO DE DOIS

13/11/2018

E aí pessoal, tudo na santa paz?
Acabei de ler um quadrinho fabuloso: Bando de Dois, do quadrinista brasileiro Danilo Beyruth, criador do personagem Necronauta. Este quadrinho foi publicado em 2010 com o apoio da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo e foi vencedor do Proac (Programa de Ação Cultural do Estado de São Paulo).
Bando de Dois traz a história de um bando de cangaceiros que foi dizimado pela volante (tropas de voluntários civis temporários cujo objetivo era perseguir e combater cangaceiros) do tenente Honório que, depois do massacre, cortou as cabeças do bando para exibir na cidade (referência total ao massacre do bando de Lampião). Mas dois do bando conseguem sair vivos e acabam se encontrando. No desenrolar da trama, os dois decidem ir atrás das cabeças dos seus companheiros mortos, para que eles não serem levados para a cidade. Então, num clima dos filmes de westerns, como diz na descrição do quadrinho, eles montam um plano em um pequeno povoado e o encontro inevitável da volante com os cangaceiros nos traz cenas de ação bem legais.

Só o assunto do quadrinho já me interessou de primeira, já que sou um admirador do tema cangaço e, depois da leitura, acabei gostando mais ainda. É uma história simples e direta, contada em 94 páginas, sem enrolação. O traço do desenho é muito bom: dá para perceber como o desenho é bem estilizado (diferente de vários títulos de quadrinhos que, no geral, gostam de puxar para um lado realista, algo que não me agrada muito em uma HQ).
Bom, não vou dar nenhum spoiler. Se você quiser saber qual plano eles fazem ou porque foram atrás das cabeças, vai ter que ler o quadrinho. Espero que tenha gostado da indicação e desejo uma boa leitura.
Fiquem com Deus.

 

Por falar em quadrinhos, já leu nosso post sobre APAGÃO? Leia Já:

APAGÃO

Versus Podcast © 2017