COMEÇOU A MENTIRA! | USE A SUSPENSÃO DE DESCRENÇA E DIVIRTA-SE

01/05/2018

Imagine que você está no cinema assistindo um filme do Superman e, assim que ele voa pela primeira vez, você é incomodado pela rabugice de alguém, que acaba soltando a seguinte pérola: “começou a mentira”…  Uma obra de ficção precisa ter liberdades artísticas. Estas liberdades podem ser facilmente aceitas através da suspensão de descrença.

Por volta de 2005 o cinema teve uma fase onde se costumava buscar o realismo com frequência. Na época, o herói de Batman Begins teve que aprender artes marciais e os deuses sumiram do filme Tróia. Talvez coisas desse tipo tenham ajudado a deixar boa parte do público meio chato diante de algumas liberdades tomadas por obras de ficções. Os fãs de Star Wars costumam ser incomodados com questionamentos irritantes, que vão desde detalhes simples como o som no espaço até o tamanho da Estrela da Morte e questões econômicas que inviabilizariam a base Starkiller.

A ficção tem a capacidade de nos tirar de nossa realidade para que possamos sonhar enquanto nos deslumbramos e nos emocionamos com uma obra. A suspenção de descrença refere-se à disposição que o público tem de aceitar como verdadeira a premissa de uma obra de ficção. Isso pode ser conseguido mais facilmente através da habilidade do artista em manter a ilusão. Quanto menor essa habilidade, mais a suspensão de descrença dependerá do público e, ao que parece, nem todos tem uma grande capacidade de usá-la.

No final das contas, penso que seria mais fácil usar a suspensão de descrença se todos buscassem apreciar um tipo de obra que mais lhe agrade. Se você prefere muito realismo e se incomoda com os elementos surreais nos filmes de super-heróis, por que está numa sala de cinema assistindo um filme do Superman? Talvez esteja acompanhando alguém que goste desse tipo de filme. Nesse caso, que tal tentar usar a suspensão de descrença? Procure se divertir e deixe de ser chato.

Versus Podcast © 2017