GGRF 2018

23/07/2018

No último fim de semana (20-22 de Julho) aconteceu o Geek & Game Rio Festival 2018, evento que tem agitado o cenário carioca nerd do Rio de Janeiro.
Com cerca de 30 mil ingressos vendidos, a segunda edição do GGRF se firma como um evento diferenciado dedicado à cultura pop para reunir toda a família, das crianças aos adultos.
E nós do Versus estivemos lá pra conferir tudo que aconteceu nesses 3 dias!

A segunda edição do Geek & Game Rio Festival abriu as portas na sexta-feira, 20, no Riocentro. Personagens queridinhos da TV e dos quadrinhos ganharam o pavilhão do evento e coloriram todo o espaço com suas melhores produções e muita animação. Do Homem Aranha ao Chaves, incluindo muitas inspirações nos mangás, games, séries, entre outros.

Junto a estes personagens, áreas como o Just Dance não deixaram ninguém parado. O famoso jogo eletrônico, desenvolvido pela Ubisoft, confirma o sucesso entre a garotada que formou longas filas para ter dois minutos de fama, ao subir no palco e mostrar toda a habilidade e ginga para copiar as coreografias de um dançarino virtual.

No Geek Station, o ponto de encontro onde grandes ídolos marcam presença com palestras, debates e bate-papos intimistas com o público. O grande destaque deste primeiro dia nesta área foi, sem dúvida, o painel “Tinha que ser o Chaves”, mediado por Cid, do portal Não Salvo. Édgar Vivar e Ana de la Macorra, respectivamente Seu Barriga e Paty, do famoso seriado mexicano Chaves, bateram um papo descontraído com Cid e contaram detalhes e curiosidades das gravações. Uma delas é que o Chaves não morava no barril, ele tinha um apartamento na vila, de número 8, uma alusão ao canal no qual o seriado era transmitido. Outro detalhe contado pelo ator foi que, durante toda a duração do programa, o Seu Madruga pagou o aluguel apenas duas vezes. E, vejam só que curioso: a intérprete da personagem Paty não é atriz. Na verdade, Ana é psicóloga e fazia parte da equipe de produção do seriado.

 

O segundo dia foi marcado pela presença do ator alemão de Game of Thrones, Tom Wlaschiha, o Jaqen H’ghar da série, mais conhecido pelo público como o “Homem sem Face”.
O painel teve apresentação do repórter Renato Hermsdorff, além de participação especial do dublador brasileiro do personagem, Márcio Aguena, e da repórter e também dubladora Lhays Macêdo. Entre as perguntas feitas ao ator durante o bate-papo, ele declarou a morte que considera a mais chocante da série: “com certeza a do Joffrey Baratheon (Jack Gleeson) foi muito sangrenta, mas eu também gostei muito do Casamento Vermelho”, afirmou. Tom também adiantou que muitas coisas inesperadas acontecerão na próxima temporada da série, que irá ao ar apenas em abril de 2019, mas, claro, não adiantou detalhes. O ator finalizou sua apresentação com seu tradicional jargão “Valar Morghulis, Rio de Janeiro”, que significa “todos os homens devem morrer” em alto valiriano, língua fictícia da série.
Mais cedo, o campeonato de trocadilhos, UTC (Ultimate Trocadilho Championship) conquistou a plateia imediatamente e contou com a participação de Matheus Castro, Marcos Castro, Ed Gama, Fred Mascarenhas, Henrique Fedorowicz e Luciana D’Aulizio, além do convidado Gigante Leo, da peça “Mentira tem perna curta”. O espaço estava lotado, com público em pé inclusive na área externa do Geek Station. A área também contou com o painel “Mundo Cosplay”, onde os personagens Danielle Vedovelli, Kayo Pantoja, Eder Cosmaker, Giu Hellsing, Mônica Somenzari, Thais Yuki LeFay e a apresentadora Pérola Luizi falaram sobre o reconhecimento da profissão, a dedicação e ainda aproveitaram para agradecer ao Homem de Ferro por disseminar a cultura cosplay. “Hoje em dia não somos mais vistos como os estranhos fantasiados ou o carnaval fora de época, somos realmente um nicho do mundo geek e já não sofremos tanto preconceito”.

No domingo, o destaque ficou por conta da final do campeonato feminino de Rainbow Six Siege, o primeiro do Brasil. No palco do Game Stadium, as meninas do RevoltZ jogaram contra as do Team Fontt. Myss1, Thaii, Lara, Bits e Russa, do Team Fontt venceram por dois mapas a zero, parciais de 6×2 e 6×4, numa partida que durou cerca de 90 minutos.

No Geek Station, o humor foi a tônica dos influenciadores. Os melhores nomes do transporte alternativo, do programa Choque de Cultura, Caíto Mainier (Rogerinho do Ingá), Daniel Furlan (Renan), Leandro Ramos (Julinho da van) e Raul Chequer (Maurílio), foram o grande destaque do palco e a penúltima atração da noite. A série de programas, tem o cinema como tema principal e já finalizou a 2a temporada, com 26 episódios e sucesso absoluto. Os atores conversaram com uma plateia lotada, quase mil pessoas, sobre como originou a ideia para o programa, contaram histórias e quais foram os melhores comentários que já receberam nas redes sociais. Caíto Mainier, o Rogerinho do Ingá, adiantou que estão escrevendo um livro, que deverá se chamar “89 filmes para se assistir enquanto dirige” e será lançado pela editora Record.

Outra sensação do terceiro e último dia do evento no palco do Geek Station foi o quadro do canal Gaveta, Dublaralho, onde os nomes Anderson Gaveta, Charles Emmanuel, Ricardo Juarez e Ed Gama dublaram de improviso algumas cenas de novelas, filmes e séries, como Batman e Coringa, Game of Thrones, Poderoso Chefão, entre outros, com a apresentação e participação do curador Affonso Solano. Foram diversos temas escolhidos para as atuações, como: reunião dos alcoólatras anônimos, um parto de lasanha e o Hulk que virou cabelereiro.

Assim como nos dias anteriores, o concurso de Cosplay foi um dos grandes sucessos do palco Geek Station. Hoje, foram 51 participantes e a vencedora foi Luma Cruz, vestida de Soraka, a filha das estrelas, de League of Legends. Já o Grand Cosplay Awards, que aconteceu na sequência, contou com 12 participantes previamente selecionados. Ele reuniu grandes personagens do videogame e da cultura geek, como Sora, de Kingdom Hearts, Drácula, de Castlevânia e Rainha de Copas, de Alice: Madness Returns. O troféu foi para Rafael Pereira, com cosplay do Cavaleiro do Apocalipse, de World of Warcraft.

Muita coisa aconteceu na GGRF 2018 e o evento se consolidou de vez no RJ. Em 2019 espero um festival ainda maior e mais animado!

Em parceria com a WarpZone, produzimos podcast e um vídeo cobrindo diversos outros aspectos do festival, confira:

MiniCast 001 – GGRF (http://warpcast.com.br/minicast001)

 

 

Versus Podcast © 2017