INVASÃO ZUMBI

21/05/2019

Invasão Zumbi é, provavelmente, o filme de apocalipse zumbi mais diferente que já vi. Além da epidemia que assola a população, ele também fala sobre a vida familiar, mostrando como era o relacionamento do pai com sua filha antes e depois dessa epidemia.

Seok-woo, o protagonista, começa a história sendo egoísta. Durante o filme, ele vai mudando um pouco sua personalidade ao ver como sua filha, Soo-na, é generosa com as outras pessoas e como os outros personagens tratam seus semelhantes. Durante toda a história, percebemos a dualidade da personalidade dos personagens. Uns são egoístas a ponto de quererem se salvar a qualquer custo enquanto outros tentam ajudar o próximo mesmo quando correm o risco de perder a própria vida. Tudo isso acontecendo durante a epidemia, em meio a pessoas abaladas psicologicamente enquanto outras acabam se transformando em zumbis.

Soo-an está morando com seu pai, mas quer ir ver a mãe em Busan. Seu pai Seok-woo decide levá-la de trem. Grande parte deste filme, dirigido por Yeon Sang-ho, se passa neste trem e em suas estações.

Logo no início, um caminhoneiro passa por uma inspeção na estrada por conta de uma possível contaminação, logo após ter atropelado um veado, que levanta segundos depois com os olhos esbranquiçados. Vou deixar que assista o filme para descobrir o que acontece.

Diferente dos outros filmes com o mesmo tema, invasão zumbi tem muitos momentos de tensão e cenas que parecem sem esperanças para os personagens. Mas também há muitos momentos que acabam emocionando bastante como, por exemplo, as relações entre pai e filha, entre o casal no qual a mulher está gravida e entre de duas irmãs idosas. Gostei muito do filme por isso. Não ficou apenas com o foco nos zumbis e o diretor conseguiu conciliar as duas coisas.

Como sempre, essa é apenas a opinião de um fã. Espero que o texto ajude a instigar sua curiosidade para ver o filme.

Até a próxima. Fiquem com Deus.

 

Por falar em filmes, já leu nosso post sobre Projeto Almanaque? Leia já:

PROJETO ALMANAQUE

Versus Podcast © 2017
%d blogueiros gostam disto: