O INESQUECÍVEL MASCOTE AMARELO E FOMINHA DA ATARI | PAC-MAN

31/08/2018

 

Pac-Man é um jogo eletrônico desenvolvido e publicado pela Atari em março de 1982. O sucesso do fliperama rendeu muitas versões para o Atari 2600 como Ms. Pac-Man, Jr. Pac-Man e Super Pac-Man, além de outras não relacionadas, mas que seguiam o mesmo estilo. Posteriormente houveram versões para diversos outros consoles e para o computador.

HISTÓRIA

O jogo foi programado por Tod Frye, a quem a Atari deu um prazo limitado de tempo para a conclusão do jogo. As diferenças técnicas entre o console Atari 2600, o hardware do fliperama e a quantidade de memória disponível acarretaram complicados desafios à Frye. Na década de 80, a maioria dos jogos portados para os videogames eram compilações inferiores dos Fliperamas, que naquela época foram fatores primordiais para a popularização dos videojogos. Todos queriam jogar os games em casa, mesmo sendo uma versão inferior daquele jogo que você adorava e que acabava fazendo você gastar quase todo o seu dinheiro comprando fichas! Os fabricantes dos videogames sabiam disso e começaram a fazer acordos com os criadores dos jogos de fliperama.

Dada a popularidade da propriedade, a Atari produziu 12 milhões de cópias do jogo, estimando um elevado número de vendas. O game vendeu 7 milhões de cópias, se tornando o mais vendido do Atari 2600 e também o jogo de console mais vendido da história até a época. Apesar de tudo, o game foi largamente criticado, principalmente pelas diferenças audiovisuais entre o jogo do console e o do fliperama. Por esse motivo, teve devoluções em largas quantidades.
Inicialmente, Pac-Man impulsionou a presença da indústria de jogos eletrônicos no mercado do varejo, mas desde então tem sido citado como um fator contribuinte para o crash dos videogames norte-americanos de 1983.
Posteriormente ao Pac-Man do Atari 2600 foram fabricados outros títulos da série para este console.

GAMEPLAY

O Pac-Man do Atari 2600 é uma versão do game de fliperama lançado pela Namco em 1980 e apresenta uma jogabilidade semelhante. O jogo é bem simples (ao vê-lo você já sabe o que fazer), mas de uma ação frenética. O jogador utiliza o joystick para comandar o protagonista redondo e amarelo, que inicia cada jogo no centro de um labirinto. O objetivo é comer as pastilhas espalhadas pelos corredores, movendo Pac-Man sobre eles e evitando esbarrar com algum dos quatro fantasmas, os Galaxians (Blinky, Pinky, Inky e Clyde), que escapam de uma prisão. Cada vez que Pac-Man entra em contato com um fantasma, ele perde uma vida e reaparece no centro do labirinto. Quando ele perder todas as suas vidas, o jogo termina. Em cada canto da área de jogo estão pastilhas maiores, que permitem a Pac-Man caçar os fantasmas ao invés de ser caçado. Isso dura por um curto período de tempo, mas permite que Pac-Man possa adquirir pontos adicionais ao comer os fantasmas, que revivem em seguida. Também são atribuídos pontos extras quando Pac-Man come itens especiais que aparecem ocasionalmente.
Uma vez que todos as pastilhas são coletadas, o nível é concluído e o jogador passa para o próximo estágio.

GRÁFICOS E SONS

No quesito gráfico, não diria que são ruins… são apenas simples, mas não há como caprichar muito num jogo em que a simplicidade é um dos requisitos de seu sucesso. Cada labirinto que o Pac-Man enfrenta é representado por uma cor, e as cores do ambiente do jogo foram bem escolhidas para não confundir o jogador. Porém, as tonalidades de cores do Atari são bem limitadas quando comparadas com as do arcade.
Os sons são bastante simples, mas acima da média da simplicidade do jogo. Por mais pobre que seja o som do game do Atari, ele acabou ficando mais marcado que os sons do arcade.
O game do Atari tem apenas 5 sons (efeitos sonoros):
1) Quando o game começa.
2) Quando o Pac-Man come as pastilhas.
3) Quando o Pac-Man come a pastilha mágica.
4) Quando o Pac-Man come os fantasmas.
5) Quando o Pac-Man morre. Sendo que esse último som é um dos mais reconhecido pelos gamers nostálgicos.

DESAFIO

Acho que essa é a peça chave do jogo. Apesar de ser sempre o mesmo labirinto, o jogo é bem desafiador e você não nunca consegue relaxar!

Acredito que seja um dos primeiros a usar uma certa Inteligência Artificial. Bem rudimentar, é claro. Os fantasmas não te dão descanso e muitas vezes irão te encurralar. O jogo é bem inteligente… Quando se come uma super pastilha, os fantasmas fogem de você.

Como a maioria dos games de Atari, esse jogo aumenta a dificuldade a cada fase conquistada, sendo que as telas são praticamente as mesmas, mudando apenas a velocidade do jogo.

DICAS

Atravessar paredes: entre num túnel e, enquanto estiver dentro dele, fique pressionando rapidamente para cima e para baixo, e tome o cuidado de pressionar para baixo no momento em que ele for sair.

Vidas infinitas: coma apenas um fantasma no primeiro labirinto, dois no segundo, três no terceiro e quatro no quarto. Depois pressione para cima, para baixo, para cima e perca uma vida.

CONCLUSÃO

Talvez o game mais lembrado do Atari e que sobrevive até hoje! Apesar deste bom jogo ser bastante simples, não é um game enjoativo.
Pac-Man foi um dos primeiros “mascotes” dos videogames e, por mais que não saiam bons jogos dele hoje em dia, ainda tem um grande reconhecimento por tudo que fez no passado. Numa época em que os jogos traziam muita diversão ocupando somente 2kb! Super recomendado!

 

Por falar em mascotes dos games, já leu nosso post sobre Super Mario World? Leia Já:

VOCÊ CONHECE O MARIO?… QUE MARIO? SUPER MARIO WORLD (SNES)

Versus Podcast © 2017