O TEMPO NÃO PARA

18/09/2018

E aí galera, hoje vou falar sobre uma novela da Globo, que estreou em 31 de julho e que achei muito interessante: O Tempo Não Para. Escrita por Mário Teixeira, é a 92ª novela das sete e conta com um elenco maravilhoso e muito humor.

A história começa em São Paulo, no ano de 1886 com a família Sabino Machado, detentora de muitas riquezas, dentre elas terras para exploração de ouro e minério, fazendas de gado e até mesmo investimentos em telefonia. Dom Sabino, o patriarca da família, planeja uma viagem à Europa para conhecer o estaleiro que comprou na Inglaterra e manter a filha Marocas longe do falatório da cidade, após a moça recusar um casamento no altar. A família embarca no Albatroz, um dos navios mais seguros da época e faz um pequeno desvio no percurso para conhecer a Patagônia, momento em que o navio colide com um iceberg, levando-o ao naufrágio.

Treze pessoas acabam congeladas, devido à baixa temperatura da água naquela região: Dom Sabino, Dona Agustina, Marocas e as gêmeas Nico e Kiki, os escravos Damásia, Cairu, Cesária, Menelau e Cecílio, o guarda-livros Teófilo, a preceptora Miss Celine, o poeta Bento e o cão da família, Pirata.

Já nos dias atuais, 132 anos após o naufrágio, um bloco de gelo gigantesco vem seguindo para a praia de Guarujá. Samuca, um dos empresários mais ricos do país, focado em causas sociais e reciclagem, está surfando e é o primeiro a vê-lo. Quando se aproxima para ver melhor do que se trata, fica encantado ao ver Marocas, mas o momento é interrompido quando o bloco se parte e a moça começa a afundar. Preocupado em salvar a bela donzela, Samuca mergulha e vê que o gelo está derretendo, fazendo com que ele aja rápido, nadando com Marocas rumo à uma ilha afastada do litoral paulista.

A notícia se espalha rapidamente e os congelados são levados com o auxílio da Marinha à Criotec, um laboratório especializado em criogenia. Lá são colocados em cápsulas preparadas para monitorá-los e, aos poucos, cada um vai despertando à sua maneira, onde tem que enfrentar a nova realidade em que se encontram.

Na minha opinião, vale a pena assistir. É uma história bem diferenciada que vai render boas risadas. Um dos pontos que achei bem bacana é a música de abertura, que foi escolhida com louvor e ilustra bem a história. E aqui chamo a atenção para um detalhe mínimo: Dom Sabino nunca tira seu chapéu e o final da música diz “e para aquele que provar que estou mentindo, eu tiro o meu chapéu”.

Para finalizar, a novela chama a atenção para a importância das causas sociais, reciclagem, inclusão de pessoas especiais no ambiente profissional, sendo tratadas sem diferença e por último, mas não menos importante, mostra a amizade e solidariedade sem exigir nada em troca.

Então pessoal, fica aí a dica. Espero que tenham gostado e até a próxima!

 

Por falar em histórias dramáticas, já leu nosso post sobre a série Anne With An E? Leia Já:

ANNE WITH AN E

Versus Podcast © 2017