OLHOS PRATEADOS | EXPANDINDO O UNIVERSO DE FIVE NIGHTS AT FREDDY’S

02/06/2018

E aí pessoal, tudo na paz?
Hoje vou falar sobre o livro Olhos Prateados: um romance que expande o universo da famosa saga de jogos de terror FNAF (Five Nights at Freddy’s). O livro foi produzido pelo criador do jogo, Scott Cawthon, e pela autora Kira Breed – Wrisley.

Scott Cawthon

No jogo, um segurança é contratado para trabalhar por cinco noites em uma pizzaria. Ele basicamente tem que vigiar as câmeras e sobreviver durantes esse tempo. O game concentra-se na fictícia Pizzaria Freddy Fazbear. O jogador precisa economizar a energia da pizzaria para que ela não caia durante noite. Caso isso aconteça, os animatrônicos (que são robôs revestidos com fantasias de animais que supostamente fazem a alegria das crianças) podem atacar o segurança e obrigá-lo a colocar uma fantasia cheia de mecanismos que esmaga quem a veste. Durante todo o jogo o segurança tem que conferir todas as câmeras para ver se está tudo em ordem e isso gera muitos sustos para o jogador: do nada pode aparecer a cara de um bicho enorme bem na frente da tela ou um animatrônico no meio do salão de festas.

Kira Breed – Wrisley

Five Nights at Freddy’s foi uma febre entre as crianças e boa parte dos adolescentes. O jogo deixou muitas pontas soltas e não há nenhuma explicação sobre o que acontece com os robôs da pizzaria. Como de costume, o game não conseguiu escapar das teorias da internet. Uma delas sugere que o jogo seja algo real, afirmando que houve o desaparecimento de crianças na tal pizzaria, que realmente existiria, e lá os animatrônicos seriam possuídos por algum mal, assim como no jogo.
Agora vamos para o livro. Se nos jogos não há uma explicação sobre o porquê de os animatrônicos agirem daquele modo, no livro é apresentada algumas, mesmo que não sejam muito aprofundadas. Ao que parece, Kira, a autora, usou como base a teoria do jogo para sua narrativa.
A história se passa em Hurricane, uma cidade localizada no estado norte-americano de Virgínia Ocidental, no Condado de Putnam. Depois de dez anos, seis amigos se reencontram na cidade, onde todos moravam antes de outro amigo, Michael, morrer de forma misteriosa. A autora tem como foco a história de Charlie, filha do antigo dono da pizzaria Freddys, que tem ligação com todo o conflito que vai crescendo durante a narrativa. Todos se encontram após esses longos anos para participarem de uma espécie de homenagem a Michael. As únicas coisas que haviam em comum entre eles agora era Michael e a pizzaria Freddys. Depois da homenagem eles decidem ir até o local onde a pizzaria ficava só para matar a curiosidade.

Bom, em uma analise geral o livro é bom, vale a pena ler. Ele é um misto de terror e suspense. Durante toda a leitura, Kira leva o leitor por um caminho tortuoso, enganando ele muitas vezes, o que é interessante.
Tenho somente duas críticas ao livro. A primeira é que o ele poderia ser escrito com menos páginas, pois o livro tem muitos picos de ação e monotonia. Em algumas partes parece um trecho de um livro do Tolkien, com muitas descrições de cenário e de ações de movimentação dos personagens que não faria falta nenhuma (há praticamente um capítulo inteiro que segue dessa forma, mas seja forte e termine ele o mais rápido que puder). A segunda é que Kira poderia ter dado um pouco mais de emoção em algumas partes da narrativa (algo que pode ser percebido dependendo do gosto de leitura de cada um), que foram bem decepcionantes. Mas o interessante é que a autora sabe muito bem como ganhar um leitor: ela deixa um gancho enorme no começo da leitura, sem entregar nada de bandeja, usando uma arma fatal para conquistar o leitor: a curiosidade.
Não é nada extraordinário, é uma narrativa simples, o que torna a leitura mais prazerosa e rápida.

Versus Podcast © 2017