RETROSPECTIVA GAMES 2017

04/01/2018

2017 foi um ano cheio para o mundo dos videogames e listamos abaixo, o que de mais importante foi lançado na indústria!

Consoles

Nintendo Switch

Lançado em Março de 2017 ao preço de $299, o híbrido da Nintendo tornou-se logo um sucesso de mercado, tendo vendido mais de 10 milhões de unidades nestes 9 meses. A crítica especializada também abraçou o console e a tentativa da Nintendo de (mais uma vez) revolucionar o mercado. Houveram problemas com os joycons nos lotes iniciais, mas nada que inibisse o grande sucesso comercial dos games em 2017.

Mega Drive Tectoy

O novo Mega Drive da Tectoy chegou às lojas do Brasil em Junho, prometendo resgatar a nostalgia das crianças dos anos 90 e a relevância da empresa.

O modelo dividiu opiniões, principalmente por conta da ausência de uma conexão HDMI e quanto à sua qualidade sonora, que a Tectoy já afirmara que não seria 100% fiel ao console original.

A despeito dos problemas, a Tectoy fez um belo trabalho e conquistou a confiança dos colecionadores com os detalhes que vão desde a caixa que recria fielmente o primeiro modelo vendido no Brasil (com a foto do “Altered Beast” na televisão!) até o ótimo controle com 3 botões e detalhes caprichosos, como a entrada para fone de ouvidos e até o slider que controle o volume, tudo acerta em cheio na nostalgia.

Jogos

Resident Evil 7: Biohazard (PC, PS4, Xone)

Este jogo deliciosamente sujo e opressivo é a prova de uma lição aprendida. Resident Evil 7 olha para a história da série para reencontrar sua essência de filme B, mas que assusta (e convence) quem resolveu seguir com a franquia. Muito mais íntimo e tenebroso do que o show de tiroteios que Resident Evil tinha se tornado, foi um sucesso, proporcionando um rico, atmosférico e inteligente “refresh” na franquia e sendo bom o suficiente para nos garantir umas boas horas de diversão.

 

Nioh (PS4, PC)

A Team Ninja volta com tudo nos games com sua nova IP. Com mecânicas e jogabilidade muito semelhantes ao que vemos na série Souls, o jogo possui seus diferenciais, e muitos vem da outra IP da empresa, Ninja Gaiden. O jogo foi lançado exclusivamente para PS4 nos consoles e meses depois uma versão para PC.

Centenas de horas e ainda estou entusiasmado com os aspectos e descobertas dentro do jogo, encontrando coisas sempre novas e gratificantes para fazer e ver. Acessível, porém difícil de dominar. Se houver justiça, ser tornará um clássico.

 

Horizon: Zero Dawn (PS4)

A Guerrilla Games resolver sair da zona de conforto (Killzone) e se aventurar em um mundo pós-apocalíptico em que as maquinas e o Homem voltaram aos primórdios da história humana.

Superficialmente, Horizon parece ser uma mistura de influências, mas, assim como a máquina assassina que anda por suas terras, o jogo é muito mais do que seus componentes, entregando uma história emocionante, um combate satisfatório e os mais belos ambientes de videogames que já vi. Horizon acerta em criar uma identidade própria em um gênero superpopulado como o de RPGs de mundo aberto.

 

The Legend of Zelda: Breath of the Wild (Switch, Wii U)

O décimo título da famosa série de jogos da Nintendo finalmente saiu do papel em conjunto com o Nintendo Switch. Com novas mecânicas, o game oferece em um mundo aberto que dá total liberdade ao jogador em prosseguir da forma que quiser. O protagonista Link está de volta e precisa recuperar suas memórias para derrotar Calamity Ganon.

Seu mapa está cheio de distrações, mas sem uma centímetro dele desperdiçado. É clássico e moderno, aproveitando a herança de sua própria série, abraçando abertamente tendências de jogo mais recentes. Apresenta um desafio acolhedor, dando a escolha ao jogador para explorar ou perseguir algumas das criaturas mais temíveis do jogo, você decide. E apresenta o tipo de criatividade mecânica que faz você querer jogar sem parar. Estas são apenas algumas das razões pelas quais o Breath of the Wild é um dos melhores jogos de videogame já feitos.

 

PlayerUnknown’s Battlegrounds (PC, Xone)

Uma das maiores surpresas do ano logo se tornou um dos maiores sucessos também! Battlegrounds, um jogo multiplayer online competitivo que criou de um modo de jogo que se tornou um grande sucesso, o battle royale. O título foi lançado em acesso antecipado exclusivamente para PC. Ficou meses em desenvolvimento até que finalmente em dezembro, o game foi lançado oficialmente com um porte em acesso antecipado para o Xbox One e com promessa de lançamento para o Playstation 4 futuramente.

 

Persona 5 (PS4, PS3)

Após algum tempo de espera para chegar ao ocidente, recebemos em 2017, Persona 5. Com uma história excelente, personagens extremamente carismáticos e uma gama de poderes considerável, o game conquistou o público e chegou a ser indicado a jogo do ano.

Persona 5 é um jogo maravilhosamente elaborado, manipulando habilmente a mecânica de combate com a propensão da série para as críticas sociais fascinantes e muitas vezes aterrorizantes dos dias da adolescência. Escuro, atraente e lindo.

 

Cuphead (PC, Xone)

Por um lado, parece um desenho animado com o clássico estilo de animação da década de 1930. Incrível em tudo, desde imagens até trilha sonora. Por outro lado, é um desafio excepcionalmente divertido, com foco em excelentes batalhas contra chefões muito bem detalhados. O jogo pode ser inicialmente difícil, mas não punitivo, com lutas curtas de várias camadas que fazem um bom trabalho em ensinar você a melhorar. Um dos melhores do ano.

 

Super Mario Odyssey (Switch)

Super Mario Odyssey é, em muitos aspectos, a melhor aventura que você terá. A já conhecida habilidade atlética de Mario está ainda melhor e a nova capacidade de “possuir” várias criaturas através do seu amigo chapéu fantasmagórico, Cappy, abre uma infinidade de novas possibilidades. A variedade, a criatividade e a quantidade de desafios em cada reino revestido de doces são incríveis, uma afirmação de que a Nintendo neste tipo de aventura é imbatível. É uma jornada para saborear sem desperdiçar um segundo.

 

Wolfenstein II: The New Colossus (PC, PS4, Xone) – 27 de Outubro

Wolfenstein 2, um FPS em que você pode usar espingardas duplas para matar centenas de fascistas robóticos em uma instalação nazi secreta suspensa acima da superfície de Venus, é o jogo mais habilmente escrito nos últimos anos. Uma mistura eletrizante que explora uma série de temas complexos e desconfortáveis raramente vistos nos videogames. Wolfenstein combina isso com um gameplay desafiador, surpreendente e infinitamente gratificante.

 

Assassin’s Creed Origins (PC, PS4, Xone)

Origins é uma reinvenção esplêndida para Assassin’s Creed. Embora mantenha muitos dos traços-chave da série – stealth, esfaquear e sua história de ficção científica ligeiramente boba – amplia seus horizontes. Seu protagnoista, Bayek, é consistente e age muito bem em um cenário fascinante como o Egito antigo.

 

Menções Honrosas

Os destaques citados acima não foi tudo que tivemos de bom no ano, então separamos algumas menções honrosas. Estes que são games que lançaram atendendo a expectativa do público, mas não se tratou de nenhuma surpresa, seja por ser um game anual ou que não chegou ser tão excelente a ponto de impressionar como nos destaques. Confira:

  • Forza Motorsport 7
  • For Honor
  • Halo Wars 2
  • The Walking Dead: A New Frontier
  • Injustice 2
  • The Surge
  • Sonic Mania
  • The Evil Within 2
  • Destiny 2
  • Call of Duty: WWII
Versus Podcast © 2017