UM ADEUS EM GRANDE ESTILO | UNCHARTED 4 : A THIEF’S END

13/07/2018

 

Uncharted 4: A Thief’s End é um jogo de ação e aventura produzido pela Naughty Dog. Foi lançado no dia 10 de maio de 2016 pela Sony Computer Entertainment sendo um exclusivo para PlayStation 4. Este jogo é o quarto e último capítulo da série Uncharted com o personagem Nathan Drake, assim como o último da série original produzida pela Naughty Dog.

HISTÓRIA

Três anos depois dos eventos ocorridos em Uncharted 3: Drake’s Deception, Nathan Drake (Nate) desistiu de ser um caçador de tesouros e tem uma vida normal com Elena Fisher.

A rotina de Nate é interrompida quando Samuel Drake (Sam), seu irmão mais velho que supostamente estaria morto, entra na sua vida. Samuel diz que precisa da ajuda de Nate para encontrar um artefato muito antigo, relacionado com o tesouro do pirata Henry Avery, já que sua vida depende disso. Nate já tinha tentado encontrar o pirata no passado, mas nunca chegou a qualquer conclusão; então acaba sendo forçado a entrar de novo no mundo dos ladrões, com a promessa de aventuras e a oportunidade de ajudar um familiar.

Os dois irmãos, com a ajuda de Victor Sullivan (Sully), partem numa viagem ao redor do mundo na busca do tesouro pirata e, ao mesmo tempo, tentam desvendar a conspiração por detrás de Libertalia, uma utopia pirata dentro das florestas de Madagáscar. Porém não será tarefa fácil (nunca é), pois dois rivais, Rafe Adler e Nadine Ross, querem encontrar o tesouro primeiro e irão tornar a aventura ainda mais difícil para Nathan Drake.

JOGABILIDADE

A jogabilidade de Uncharted sempre foi um dos pontos fortes da franquia. A forma com que Drake escala, salta, agarra e se movimenta é eficiente até mesmo para quem não possui tanta habilidade com os controles, tornando os jogos da série uma boa pedida para quem acaba de comprar o primeiro console.
A fórmula do sucesso se mantém em Uncharted 4, com algumas pequenas evoluções. A principal delas é o gancho de Drake, que faz com que o personagem alcance plataformas mais altas e avance grandes distâncias. Tudo isso no melhor estilo Indiana Jones.

Também há um foco maior na furtividade. Em muitos casos, é mais eficiente agir sorrateiramente e eliminar seus inimigos um a um em vez de simplesmente abrir fogo contra todos eles. Para isso, há elementos que auxiliam nessa abordagem, como o gramado alto, pequenos becos e plataformas mais altas.
Por fim, os puzzles são resolvidos quase da mesma maneira que antes, com detalhes do diário de Drake e um pouco de raciocínio para quebrar o ritmo alucinado de alguns momentos. Os desafios, algumas vezes, são grandiosos e envolvem mecanismos complexos, mas nada que um pouco de leitura e reflexão não resolvam.

GRÁFICOS

O visual de Uncharted 4 é de longe um dos mais belos da atual geração. É incrível a forma como os personagens foram reproduzidos, seja pela fisionomia, expressões faciais ou até mesmo pela sincronia com o áudio dos diálogos.
O capricho também se estende aos cenários. É difícil jogar sem ficar “parado” as vezes, só admirando a paisagem ao longo de toda a aventura. O jogo tem “cenas” urbanas, cavernas, fundo do mar, grandes construções antigas, florestas e por aí vai, tudo para não deixar a jogatina cansativa.
Os cenários urbanos são bem “vivos”, com NPCs diferentes entre si. A fase em um pequeno mercado de vila em Madagáscar é a que melhor exemplifica isso. As partes do jogo em que você está no controle de um carro ou lancha são ainda mais especiais: os cenários são imensos e você não precisa necessariamente ir para o ponto correto desde o início.
É possível procurar tesouros colecionáveis e é divertido correr atrás deles. Eles transformam a experiência e quebram a linearidade do jogo, mesmo que brevemente, permitindo uma exploração maior de determinado mapa. A dimensão dos locais visitados impressiona.

SONS

Uncharted 4 chega ao Brasil totalmente em português. Tanto as legendas quanto o áudio do jogo são traduzidos para a nossa língua.
Os outros efeitos sonoros também não desapontam. As músicas épicas estão lá para aumentarem a adrenalina em grandes momentos: há composições mais tensas para tiroteios ou revelações, além dos períodos de emoção também serem bem complementados. Os barulhos de tiroteios, madeira se partindo e de Drake caindo de cabeça em uma poça d’água também são bem reproduzidos, causando uma imersão maior durante a jogatina.

MODO ONLINE

O online não é o prato principal de Uncharted 4, mas é uma boa adição para passar o tempo depois de terminar a história.
No total existem quatro modos: Team Deathmatch, Plunder, Command e Ranked Team Deathmatch. O modo multiplayer é bem divertido e traz um estilo bem diferente da campanha.
Itens mágicos e habilidades sobrenaturais trazem mais emoção e um fator imprevisível a cada rodada. Você pode personalizar bastante o personagem controlado com acessórios, além do próprio esquema de arsenal.
A loja em tempo real é de fácil aprendizado e um pequeno tutorial ainda auxilia você antes de ir para as partidas em conjunto.

CONCLUSÃO

Uncharted 4 é uma despedida em grande estilo da Naughty Dog. Não há garantias que este será o último jogo da série, mas é o último jogo de Nathan Drake. No final, não existem pontas soltas nem a sensação de que poderá haver mais uma aventura para o personagem.
Foi lançado um outro jogo da série chamado “Uncharted: The Lost Legacy” que, antes de seu anúncio oficial, foi tido apenas como um DLC que viria para Uncharted 4: A Thief’s End. Porém o jogo tornou-se uma aventura completa que acabou sendo vendido separadamente em mídias digitais e físicas.
Pelo visto o legado de Drake está garantido. Uncharted 4 fez valer a longa espera
e desponta facilmente como o melhor game já lançado para o PlayStation 4. O jogo traz a boa e velha mecânica que consagrou a série, com pequenas evoluções que chegam para somar.
Os gráficos encantam pela qualidade e até o modo multiplayer, que já foi duramente criticado em outras versões, torna-se uma excelente opção de jogo.

Uncharted 4 é um item obrigatório para quem possui um PS4 e tornou-se o motivo que faltava para se adquirir o console.

 

Por falar em Uncharted, já leu nosso post sobre Uncharted 3: Drake’s Deception? Leia Já:

MAIS UMA CRUZADA DE DRAKE | UNCHARTED 3: DRAKE’S DECEPTION

 

Versus Podcast © 2017